Bem-vindo ao Blogue das Bibliotecas Escolares do agrupamento da Maia!

terça-feira, 16 de outubro de 2018

As canções da minha escola!


É um poema... apenas!

Folhas de Outono



Folhas secas, já cansadas,
descem da copa das plantas.
Tecem tapetes de fadas,
modelam compridas mantas.
Essas folhas já sem vida
vão enfeitando a paisagem,
deixando na despedida
só caminhos de romagem.
Gritam hinos à memória
de um Verão abrasador.
Morreram para dar glória
à vida que há-de dar flor.
E quando Março chegar,
trazendo a força da vida,
de novo se há-de cantar
à Primavera florida.

Mário Catarino

Uma reflexão por dia... o bem que te fazia!

"Não faz mal..."

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

É um poema... apenas!


Por muito tempo achei que
a ausência é falta.
E lastimava ignorante, a falta.
Hoje não a lastimo.
Não há falta na ausência.
A ausência é um estar em mim.
E sinto-a, branca, tão pegada,
Aconchegada nos meus braços,
que rio e danço e invento
exclamações alegres,
porque a ausência assimilada,
ninguém a rouba mais de mim.

Carlos Drummond de Andrade

MIBE 2018 • Eu ♥ biblioteca escolar




A partir do tema definido pela International Association of School Librarianship (IASL) para o International School Library Month (ISLM) em 2018, "Why I love my school library", a RBE procurou uma formulação que melhor traduzisse para a língua portuguesa a ideia transmitida, optando-se por uma linguagem híbrida em que todas as gerações se reveem: “Eu ♥ biblioteca escolar”.

Como habitualmente, o Dia Internacional da Biblioteca Escolar será assinalado na quarta segunda-feira de outubro, dia 22.

Para além das propostas da IASL disponíveis aqui, a Rede de Bibliotecas Escolares lança o habitual desafio, para assinalar o Mês Internacional da Biblioteca Escolar (MIBE) e celebrar a importância das bibliotecas e de tudo o que têm de bom.

Uma reflexão por dia... o bem que te fazia!



Beco sem saída ou lugar para dar a volta?


quarta-feira, 10 de outubro de 2018

sexta-feira, 5 de outubro de 2018

BIBLIOTECAS e LEITURA!


Dia do Professor

Ser professor,

Se não houvesse espelhar de olhos no primeiro dia de aulas, ser professor não seria um sonho.

Se um fio de beleza não pudesse soltar-se daqueles dedos, daquelas vozes cantoras, daqueles corpos em movimento, ser professor não seria um sonho.

Se nunca um verso ganhasse asas no fresco dos seus lábios, ser professor não seria um sonho.

Se um livro, uma pintura, um ambiente virtual ou um filme não abrissem uma porta até então fechada, ser professor não seria um sonho.

Se o tédio não pudesse emagrecer, ser professor não seria um sonho.

Se o saber não construísse pessoas melhores, ser professor não seria um sonho.

Se Arte e Jogo, Língua e Ciência não pudessem ser nomes próprios, nobres palavras, ser professor não seria um sonho.

Se um certo olhar não sorrisse ao conseguir ler pela primeira vez uma frase, fazer uma descoberta, resolver um problema, ser professor não seria um sonho.

Se um rosto não se iluminasse ao ouvir “muito bem!”, “está bem visto!”, “um passe perfeito!”, ser professor não seria um sonho.

Se uma mão negra e outra branca e outra morena não pudessem tocar-se, ser professor não seria um sonho.

Se várias cabeças não conseguissem pensar melhor do que uma, ser professor não seria um sonho.

Se o silêncio e o asseio, a sobriedade e a ordem não pudessem ser aprendidos, ser professor não seria um sonho.

Se o medo e a violência, a solidão e a pobreza não pudessem ser combatidos, ser professor não seria um sonho.

Se justiça e democracia, fraternidade e autoridade não pudessem ser aprendidas, ser professor não seria um sonho.


Se na escola não pudesse germinar a paz e a entreajuda, em vez da competição, ser professor não seria um sonho.

Se a escola não ajudasse a reordenar o mundo, ser professor não seria um sonho.

Se a inteligência não pudesse guiar o sonho, se este não pudesse guiar a inteligência, ser professor não seria um sonho.

Quando nas lides te iniciaste, ser professor tinha a forma de um sonho? Se não tinha, o tempo deu-lhe essa forma. Para muitos, ser professor é tornar real um sonho. O de ajudar a crescer, a fazer do mundo um lugar melhor para se viver.

E não há ofensas, nem indignidades – provindas de efémeros poderes –, nem rankings, nem propagandas capazes de matar esse sonho.

Nem distâncias, nem sacrifícios, nem desassossego, nem noites em claro…

Sem vozes de crianças e jovens à tua volta, sem humana relação, ser professor não seria um sonho.


João Pedro Mésseder, no Dia do Professor 2018

Concurso Nacional de Leitura - 13ª Edição


A 13.ª Edição do Concurso Nacional de Leitura (CNL) decorre entre o dia 3 de outubro de 2018, data oficial de abertura, e o dia 25 de maio de 2019, dia da grande final, em Braga.

O objetivo central do Concurso Nacional de Leitura é estimular o gosto e os hábitos de leitura e melhorar a compreensão leitora.

Como em edições anteriores, o PNL2027, com o propósito de dar a esta celebração da leitura e da escrita um caráter mais universal e significativo, articula-se com a Rede de Bibliotecas Escolares (RBE), com a Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas (DGLAB), com o Camões - Instituto da Cooperação e da Língua (Camões, IP), com a Direção-Geral de Administração Escolar/Direção de Serviços de Ensino e das Escolas Portuguesas no Estrangeiro (DGAE/DSEEPE) e com a Rádio Televisão Portuguesa (RTP), responsável pela cobertura televisiva do evento.

Podem participar os alunos dos 1.º,2.º, 3.º ciclos do ensino básico e alunos do ensino secundário.

Contamos com a vossa participação nesta iniciativa de valorização da leitura nas diferentes latitudes deste GRANDE PLANETA.


Cumprimentos,
Teresa Calçada

(Comissária do Plano Nacional de Leitura 2027)