Bem-vindo ao Blogue das Bibliotecas Escolares do agrupamento da Maia!

segunda-feira, 12 de novembro de 2018

É um poema... apenas!



Que o silêncio
Verde 
Da floresta
Não saiba nunca
O silêncio
Negro
Das cinzas.

Matilde Rosa Araújo, in "Fadas Verdes"

Uma reflexão por dia... o bem que te fazia!


domingo, 11 de novembro de 2018

Uma reflexão por dia... o bem que te fazia!

Não é o desafio
que define quem somos
nem o que somos capazes de fazer.
O que nos define é o modo 
como enfrentamos esse desafio:
podemos deitar fogo às ruínas,
construir um caminho através delas,
passo a passo, rumo à liberdade.

Richard Bach, in "Nada ao Acaso"

quinta-feira, 8 de novembro de 2018

sexta-feira, 2 de novembro de 2018

É um poema... apenas!

AS ÁRVORES E OS LIVROS


As árvores como os livros têm folhas
e margens lisas ou recortadas,
e capas (isto é copas) e capítulos
de flores e letras de oiro nas lombadas

E são histórias de reis, histórias de fadas,
as mais fantásticas aventuras,
que se podem ler nas suas páginas,
no pecíolo, no limbo, nas nervuras.

As florestas são imensas bibliotecas,
e até há florestas especializadas,
com faias, bétulas e um letreiro
a dizer: «Floresta das zonas temperadas».

É evidente que não podes plantar
no teu quarto, plátanos ou azinheiras.
Para começar a construir uma biblioteca,
basta um vaso de sardinheiras.

Jorge Sousa Braga, Herbário, Assírio e Alvim, 1999

Livros para escutar!

Ouve a história AQUI!
“O Sr. Silva chega sempre a casa ao final do dia. Vem cansado. Mora mesmo no cimo de um prédio com 96 andares”, lê-se no início do livro, ao mesmo tempo que se mostra o protagonista a subir uma escada bastante íngreme. Percebe-se imediatamente que estamos a entrar no domínio do absurdo. E gostamos.

O autor, Pierre Pratt, emprestou-nos a voz e o sotaque, ao ler Boa Noite!

O Sr. Silva tem um ritual estranho antes de ir dormir. Diz “boa noite” ao chapéu, “até amanhã” ao casaco, à gravata, ao cinto e a tudo o mais que usara nesse dia. Outras despedidas se seguem a vários objectos: “Também está na hora de o livro e os óculos irem dormir.” Até os dentes postiços merecem um simpático “boa noite” do Sr. Silva.